Retrospectiva de 2017

Com o ano acabando, chegou a hora de rever e comentar alguns livros, quadrinhos, games, seriados e filmes que me chamaram a atenção.

***

Li 38 obras, incluindo aqui ficção, não ficção e quadrinhos (graphic novels e compilações de edições):

Capa-Domingo

Na Eternidade Sempre é Domingo, de Santiago Santos. Já conhecia o trabalho do Santiago com flash fiction, assim, foi uma ótima surpresa ler esse livro que mistura diário de viagem pela Bolívia e Peru com o fantástico, mostrando a fascinante história da civilização inca, e que fica ainda melhor por causa da prosa concisa.

cover_cyber-world

Cyber World: Tales of Humanity’s Tomorrow, organizado por Jason Heller e Joshua Viola. Não sou fã de coletâneas com muitos contos, mas gostei do resultado final desta: tem textos que lembram as histórias de William Gibson (o pai do cyberpunk) até outros que poderiam ter saído de uma temporada de Black Mirror. Recomendado não só para quem gosta de cyberpunk, mas também de boa ficção científica.

junji

Fragments of Horror, roteiro e desenhos de Junji Ito. A arte de Ito (Tomie e Uzumaki), nesta coletânea de oito histórias, continua espetacular, transmitindo apreensão e o terror. Mas tive a impressão que ele não sabia o final (ou teve preguiça de descobri-lo) na maioria da histórias, precisando inventar um desfecho bizarro que nem sempre combinou com o que ele estipulou antes na trama.

injection

Injection, roteiro de Warren Ellis e arte de Declan Shalvey. Com uma premissa interessante e personagens bizarros, Ellis e Shalvey contam uma história que mistura ficção científica e fantasia, lembrando os bons tempos de Planetary (também de Ellis e com arte de John Cassaday)

***

Não só comprei menos jogos (ainda tenho dezenas de games intocados!), como também joguei pouco. O que me chamou a atenção foi:

Oxenfree-Free-Download1

Oxenfree (PC). Excelente adventure com um clima sobrenatural que lembra vagamente o de Stranger Things. Destaque para os personagens tridimensionais e seus diálogos, pois a escolha destes últimos pelo jogador afeta os finais diferentes da trama.

***

Comecei a ver várias séries na Netflix, mas foram poucas que cheguei ao último episódio da temporada. As exceções foram:

Rick_and_Morty_season_2

Rick & Morty – 2ª temporada. Essa animação continua tão divertida quanto antes, e com direito a um cliffhanger no final da temporada.

expanseheadersocials

The Expanse – 1ª temporada. Ótima adaptação do livro space opera (com um toque de FC hard) de James S. A. Corey; em alguns pontos, até superou o material original.

ST2-Final_poster

Stranger Things – 2ª temporada. O fator novidade passou, mas a trama continua instigante (e com mais referências aos anos de 1980), assim como os personagens (além do acréscimo de novos).

***

Consegui ir ao cinema mais vezes do que no ano passado mas, mesmo assim, perdi a exibição de vários filmes.

It-Movie-Poster-Stephen-King-2017

It – A Coisa. Apesar de um CGI exagerado em algumas cenas (e que acaba distraindo o espectador), o filme cumpre sua função de contar uma boa história.

br2049

Blade Runner 2049. Um daqueles casos raros nos quais a continuação alcança — e até mesmo supera — o filme original, um clássico do cinema.

Um Feliz e Próspero 2018 para todos! 🙂