Coletâneas com desconto

Nesta Semana do Consumidor, duas coletâneas com minha participação estão com ótimos descontos  para Kindle:
sherlock magos
Sherlock Holmes – Aventuras Secretas – que ajudei a organizar com Carlos Orsi – está por apenas R$ 3,98 , enquanto “Magos – Histórias de feiticeiros e mestres do oculto”, organizada por Ana Lúcia Merege, caiu para R$ 4,98  !
Anúncios

Novo site da Draco

A Editora Draco está com seu novo site no ar — e também com uma promoção de 40% de desconto no catálogo e frete grátis para compras acima de R$ 50.

Isso significa que as coletâneas que contam com minha participação também estão com um preço bem legal: é o caso de Imaginários – volume3, Sherlock Holmes – Aventuras Secretas, Space Opera – volume 2, Depois do Fim e Magos – Histórias de feiticeiros e mestres do oculto. Use o cupom Draco40 para aproveitar essa promoção que é por tempo limitado!

dracosite

Tarde de Trevas

É neste sábado (16/12) que acontece a Tarde de Trevas, o primeiro evento literário da ABERST (Associação Brasileira de Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror) em São Paulo!

aberst

Faça sua inscrição gratuita e participe de palestras, uma atividade interativa e um bate papo especial com 6 pessoas de expressão no mercado literário.

aberst autores

Votação do Prêmio Argos 2017

Foi aberto o prazo para a votação do Prêmio Argos 2017, concedido pelo CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) ao Melhor Romance, Melhor Antologia/Coletânea e Melhor Conto do Gênero Fantástico publicados em 2016. Concorro com dois contos neste ano:

 

Argos 2017

Em A arte mística de minerar teratolítios em Ixcuina (Draco), as pessoas celebram a Noite dos Mortos com comida, bebida e orgias até o nascer dos sóis gêmeos. É também a única oportunidade no ano para, através da magia, um rapaz invocar o espírito da amada recém-falecida e encontrá-la mais uma vez.

O que acontece em BOTtown ( coletânea O outro lado do crime, Llyr Editorial) é uma mistura de ficção científica com noir. Na história, o mais novo trabalho de Simón Hermes é encontrar a esposa desaparecida de um alto executivo em Marte. Conforme se aprofunda na investigação, ele descobre o envolvimento da mulher em uma antiga religião, levando o detetive ao bairro de BOTtown, o lugar mais perigoso do planeta vermelho.

Se você não é sócio do CLFC e tem interesse em se associar gratuitamente e votar, deixo abaixo as instruções. E se votar nos meus contos, já agradeço 🙂

**********

PREMIO ARGOS 2017 DO CLFC

MELHOR ROMANCE, MELHOR ANTOLOGIA/COLETANEA E MELHOR CONTO DO GENERO FANTASTICO PUBLICADOS EM PORTUGUES EM 2016

ATENCAO:

Relembrando que esse ano só poderão votar os sócios ativos do CLFC, isto e’, os sócios que estão inscritos na lista oficial do CLFC no Yahoogroups. Os socios fora da lista oficial sao considerados socios inativos.

O link de votacao já foi postado na lista oficial. Alerto que os membros da lista que escolheram a opção ‘web only / sem e-mails’ so’ podem ver e enviar mensagens pelo site da lista em:

https://br.groups.yahoo.com/…/socios…/conversations/messages

Se nao receberam o link em suas Inboxes (e checaram os spams), pode ser que estejam no modo ‘web only / sem e-mails’ . Nesse caso, acessem o site da lista, que la’ estara’ o link.

Os socios que não estao na lista oficial podem nela ingressar a qualquer momento, e’ so’ me contactar via email em dudutorres@yahoo.com , que eu confirmo a inscricao no cadastro geral e convido pra lista logo a seguir.

Se mesmo após o ingresso na lista oficial ainda houver dificuldade em encontrar o link, favor contactar premioargos2017@gmail.com .

Quem ainda não é sócio do CLFC pode se associar a qualquer momento. E’ facil e o CLFC nao cobra taxa de inscricao nem mensalidades. O caminho das pedras esta’ em:

http://www.clfc.com.br/?page_id=17

Não há prazo de carência para os novos socios participarem do ARGOS 2017.

A votacao se encerrara’ em 26 de novembro.

A cerimonia de entrega dos troféus sera’ em 17 de dezembro.

Bom voto a todos.

Comissao do ARGOS 2017

**********

Resenha de O Outro Lado do Crime

Saiu a primeira resenha da coletânea O outro lado do crime — e destacando positivamente o meu conto hardboiled O que acontece em BOTtown ! Vale a pena ler o artigo do Alex André , do blog Lendo Muito, e conhecer a opinião dele.

logo

Lembrando que o livro já está à venda — que tal começar o ano lendo nove ótimas histórias?

O mais novo trabalho do detetive particular Simón Hermes é encontrar a esposa desaparecida de um alto executivo em Marte. Conforme se aprofunda na investigação, ele descobre o envolvimento da mulher em uma antiga religião, levando o detetive ao bairro de BOTtown, o lugar mais perigoso do planeta vermelho.

Em O Outro lado do Crime – Casos Sobrenaturais, a atmosfera de mistério das narrativas policiais se mistura com a aura insólita do fantástico, em histórias que vão testar sua coragem e seu poder de dedução. Você está convidado a embarcar nestes microuniversos peculiares e tentar desvendar cada um dos nove crimes apresentados ao lado dos organizadores Bruno Anselmi Matangrano e Debora Gimenes, e dos autores Fernanda Borges, James Andrade, Luis Eduardo Matta, Marcelo Augusto Galvão, Natália Couto Azevedo, O. A. Secatto e Vera Carvalho Assumpção. Você está preparado?

 

Lançamento de O Outro Lado do Crime

Neste sábado tem lançamento em São Paulo de uma coletânea que conta com minha participação.

capa-o-outro-lado-do-crime-pronta-frente

Organizada por Bruno Matangrano e Debora Gimenes, O outro lado do crime – Casos Sobrenaturais (Llyr Editorial) reúne nove contos que misturam histórias policiais com elementos fantásticos. Eu participo com a história hardboiled O que acontece em BOTtown:

O mais novo trabalho do detetive particular Simón Hermes é encontrar a esposa desaparecida de um alto executivo em Marte. Conforme se aprofunda na investigação, ele descobre o envolvimento da mulher em uma antiga religião, levando o detetive ao bairro de BOTtown, o lugar mais perigoso do planeta vermelho.

Em O Outro lado do Crime – Casos Sobrenaturais, a atmosfera de mistério das narrativas policiais se mistura com a aura insólita do fantástico, em histórias que vão testar sua coragem e seu poder de dedução. Você está convidado a embarcar nestes microuniversos peculiares e tentar desvendar cada um dos nove crimes apresentados ao lado dos organizadores Bruno Anselmi Matangrano e Debora Gimenes, e dos autores Fernanda Borges, James Andrade, Luis Eduardo Matta, Marcelo Augusto Galvão, Natália Couto Azevedo, O. A. Secatto e Vera Carvalho Assumpção. Você está preparado?

O livro será lançado neste sábado, às 15h00, no estande da Vermelho Marinho na Primavera Literária de São Paulo (Parque Villa Lobos — Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 1025 – Pinheiros – São Paulo).

Livros de 2014 – 1ª parte

Já estamos no segundo semestre do ano, então é hora de comentar alguns livros que chamaram a minha atenção (além de voltar a escrever no blog, agora com um novo visual).

Butch

Butch Fatale – Dyke Dick: Double-D Double Cross, de Christa Faust. Faust é considerada uma das melhores escritoras de ficção criminal da atualidade, criando personagens femininas que se aventuram no cenário de alguma subcultura. Foi assim em Moneyshot (pornografia), Choke Hold (artes marciais mistas) e, com este livro, o mundo LGBT (com ênfase no L). Butch Fatale é uma detetive particular de Los Angeles contratada para encontrar a namorada desaparecida da sua mais recente cliente. E como não podia deixar de acontecer em uma história criminal, ela descobre que a moça morreu de uma aparente overdose, para então envolver-se numa trama com assassinatos, política, chantagem e muito, muito sexo.

Fatale é uma espécie de versão lésbica do detetive hardboiled Mike Hammer, com direito até mesmo a uma secretária sexy. A diferença aqui fica com o humor (a começar pelo título do livro) e as cenas bem apimentadas de sexo, já que Butch nunca resiste a um rabo de saia. A trama tem ação em dose certa (apesar de uma perseguição no final que beira o absurdo…) e mostra não só parte da subcultura LGBT, mas também a de Hollywood.

Galveston

Galveston, de Nic Pizzolato (Scribner). Antes de criar a série True Detective, uma das grandes surpresas do ano na TV, Pizzolato escreveu em 2010 este livro que tem como cenário a cidade texana do título. O personagem principal é Roy Cady, um criminoso que descobre que tem câncer logo na primeira página, mas este será o menor dos seus problemas quando ele também descobre que alguém quer matá-lo.

Este é um típico noir, a começar pelo protagonista, um bandido calejado pela vida condenado por uma doença, e prosseguindo pelo clima fatalista que permeia o livro. Pizzolatto sabe contar uma história instigante – ainda que ela se arraste por alguns capítulos do meio, como se ele embromasse só para que o livro ficasse maior -, porém, pode decepcionar os leitores que esperam reviravoltas; na realidade, chega a ser previsível em determinado ponto. O forte mesmo aqui são os personagens, pessoas que vivem no submundo da sociedade e tentam se reerguer de alguma forma, lembrando em vários momentos as obras de David Goodis, um dos grandes nomes do gênero, com obras como Atire no pianista. Para os fãs da série de TV interessados neste trabalho de Pizzolato, vale notar alguns detalhes que ele usa na trama e que depois aproveitaria em True Detective, incluindo o fato da história se passar em duas épocas distintas.

last

Last Days, de Brian Evenson (Underland Press). Este foi um dos livros mais bizarros que li nos últimos anos, a começar pela premissa na qual Kline, ex-policial que teve a mão amputada por um criminoso, é forçado a solucionar um assassinato em uma seita formada por mutilados.

A história começa bem, em parte pela excentricidade da situação em que Kline se envolve e com a recusa dos seguidores em colaborarem com a investigação, já que a seita tem uma curiosa ordem hierárquica: quanto mais mutilada a pessoa, mais ela é respeitada pelos seus pares. Porém, a trama perde a força na última metade quando mais bizarrices surgem e que nem sempre são bem aproveitadas.

Evenson tem uma prosa lacônica que lembra a de Dashiell Hammett, o que não é surpresa, pois o famoso autor hardboiled foi uma das inspirações para o livro, conforme o próprio Evenson explica ao final. A obra conta ainda com um interessante prefácio escrito por Peter Straub (Os Mortos-Vivos, Koko), mas cheio de spoilers.