Reino de Areia & Sangue

Pessoal, preciso da ajuda de vocês!

Estou participando da reta final do concurso de RPG da Retropunk, editora que publica Savage Worlds no Brasil. REINO DE AREIA E SANGUE é o nome do meu cenário de Espada & Feitiçaria, inspirado na história e mitologia da Mesopotâmia, conforme a sinopse abaixo:

No meio do deserto, se ergue a cidade-estado de Merodak. Outrora majestosa, hoje parte da população vive de extrair as entranhas valiosas dos Grotescos, seres colossais que já controlaram o mundo e agora jazem em um cemitério, para assim negociá-las.

Mas existem outros modos de ganhar a vida ali. Explorar o deserto, lar de aberrações perigosas e tribos nômades. Viajar à procura de artefatos e rotas comerciais pelas cidades nas montanhas do norte ou nos pântanos do sul. Lutar em arenas para diversão do povo e cobiça dos nobres. Orar nos zigurates dos Deuses Podres, o panteão que briga pelas almas de novos adoradores.

Em um lugar onde a magia é usada para objetivos nefastos, a espada reina. Aqueles que sabem usá-la são valorizados, pois aventuras lhes aguardam neste mundo brutal e exótico.

LAMASSU_FINAL

Arte: Yigit Koroglu

Esse concurso teve início em julho de 2018 com mais de 300 inscrições e agora chega na última fase com 16 concorrentes, sendo que o vencedor terá seu cenário completo publicado pela editora. Durante as fases, escrevi duas aventuras (O Zigurate do Deus Podre e Terror entre dois rios), além da versão resumida do cenário (tudo disponível gratuitamente para download).

Além dos votos dos jurados, também tem a escolha popular, então venho aqui pedir o voto de vocês 🙂 Para quem tiver interesse em ajudar, é preciso antes participar do grupo do Savage Worlds Brasil (Oficial); depois da sua entrada ser aprovada, você pode participar da votação na página do grupo.

Obrigado 🙂

Lançamentos da semana em São Paulo e Porto Alegre

Dois lançamentos de livros com temas interessantes nessa semana, contando ambos com a organização de Cesar Alcázar. O primeiro, em São Paulo, é Crônicas de Espada e Magia (Arte & Letra e Argonautas), que traz um excelente elenco de autores nacionais e estrangeiros escrevendo sobre o popular subgênero da fantasia:

cronicas

Da sinopse:

A Arte & Letra lança a antologia Crônicas de Espada e Magia, em coedição com a editora gaúcha Argonautas, reunindo clássicos do gênero com autores contemporâneos, entre estrangeiros e brasileiros. A seleção contempla aquele que é considerado o fundador do subgênero de Espada e Feitiçaria, o americano Robert E. Howard (1906-1936), além de Karl Edward Wagner (1945-1994) e Fritz Leiber (1910-1992), tradicionais nomes da literatura de fantasia.

Entre os contemporâneos, estão George R.R. Martin, autor do fenômeno Crônicas de Gelo e Fogo, que em 2011 deu origem ao seriado americano Game of Thrones; o árabe-americano Saladin Ahmed, cuja trilogia The Crescent Moon Kingdoms foi finalista do Hugo Award, o Oscar da ficção científica/fantasia; e o inglês Michael Moorcock, vencedor do Nebula Award, prêmio concedido pela associação americana de autores de ficção científica e fantasia (SFWA, na sigla em inglês).

Além de nomes já consagrados da literatura de Fantasia, a antologia apresenta contos de escritores brasileiros: Thiago Tizzot, Ana Cristina Rodrigues, Carlos Orsi, Max Mallmann e Roberto Causo completam o time da antologia, que assim oferece um inédito panorama das histórias de Espada e Feitiçaria, subgênero da literatura fantástica surgido na primeira metade do século 20. Com personagens de moralidade dúbia e tramas centradas em batalhas pessoais, as narrativas de “Sword and Sorcery” nasceram do encontro do estiloswashbuckler de Rafael Sabatini e Alexandre Dumas com o horror cósmico de H. P. Lovecraft e Clark Ashton Smith.

Uma introdução assinada pelo organizador da antologia, Cesar Alcázar, completa o volume. A arte da capa é do americano Kekai Kotaki, conhecido por suas ilustrações para obras de fantasia e RPG.

Já em Porto Alegre, durante o Fantaspoa – Festival de Cinema Fantástico de Porto Alegre, vamos ter Cemitério Perdido dos Filmes B: Exploitation! (Estronho), livro que reúne resenhas de filmes de baixo orçamento geralmente ignorados pela crítica:

Cemitério Perdido Capa

Da sinopse:

Prepare-se para conhecer um universo lendário e fascinante, cheio de ousadia, paixão, coragem e também muita cara de pau. Cemitério Perdido dos Filmes B: Exploitation! é um mergulho radical no lado obscuro do Cinema, das selvas infestadas de canibais aos templos de lutadores no oriente, passando pelas ruas perigosas das grandes metrópoles e padecendo em campos de prisioneiros em terras distantes. Doze corajosos autores se aventuram por 135 filmes de diversos gêneros, relatando com horror, humor e amor o que o Cinema tem a oferecer de mais intenso!

O lançamento será no dia 18 de maio, às 13:30 horas, no CineBancários (Rua General Câmara, 424, Centro, Porto Alegre).

 

Sagas Volume 1 – Espada e Magia

Quem gosta de histórias de Espada e Feitiçaria – o subgênero da Fantasia que se tornou popular a partir dos pulps dos anos 30 – sabe que ação e aventura são elementos fundamentais numa boa trama do tipo. Neste ponto, Sagas Volume 1 – Espada e Magia (Argonautas) não decepciona o leitor.

Lançada no final do ano passado, a antologia reúne quatro noveletas. Cesar Alcázar abre o volume com Lágrimas do Anjo da Morte, uma  história que se passa na Irlanda medieval que, apesar da presença do cristianismo, ainda tem influência da mitologia celta. O personagem principal é Anrath, mercenário perturbado pelo seu passado de lutas e que tem a vida salva por uma banshee, criatura do folclore irlandês, após ser traído pelo seu empregador. Além da instigante ambientação, outro ponto forte do conto é a narrativa movimentada.

A Cidadela de Elan conta a aventura de Kira, uma princesa guerreira que deve cumprir uma missão especial em uma cidade dominada por ladrões. A prosa rica em símiles de Georgette Silen (Lazarus) conduz muito bem a trama, com as cenas intensas de luta garantindo ótima leitura nessa história de segredo e intriga, tornando-a um dos destaques da antologia.

Outro destaque é A Dama da Casa de Wassir, de Rober Pinheiro. Ambientado no mesmo universo do livro Lordes de Thargor, a história traz o príncipe Atha’ny que, forçado a se casar para selar uma aliança entre dois clãs, deve agora resgatar um poderoso artefato místico. Apesar da estranheza inicial provocada pelo excesso de palavras da língua do universo de Thargor, o conto é bem desenvolvido e deixa um gancho ao final, despertando a vontade de conhecer novas aventuras naquele mundo.

Sem Lembranças daquele Inverno encerra o livro. Escrito por Duda Falcão, o conto mostra um mago contratando os serviços do cínico mercenário Atreil para recuperar uma joia mágica, roubada por uma feiticeira. É um conto ágil, mas que funcionaria melhor se certas cenas tivessem sido mostradas – fosse por pensamentos, sentidos e emoções dos personagens -, e não meramente narradas, o que acabou por enfraquecer a trama.

Vale destacar também o prefácio de Roberto de Sousa Causo, mostrando a origem  do gênero, além da belíssima capa de Nate Milliner e o caprichado projeto gráfico de Roberta Scheffer.

Sagas Volume 1 – Espada e Magia mostra que a Argonautas começou com o pé direito no mundo literário. A editora lançará em breve um volume dedicado ao Weird West, chamado apropriadamente de Estranho Oeste, e um outro com o tema Bruxaria.